Orguel Mecan Institucional
Faça seu orçamento

Blog da Orguel

Indústria 4.0

ADMINISTRADOR 31/05/2021 16:03

Conhecida também como a Quarta Revolução Industrial, o movimento envolve tecnologias como a inteligência artificial, robótica, internet das coisas e computação em nuvem. E com isso muda a forma com que as empresas produzem os produtos e oferecem serviços, com o intuito de otimizar processos, isso porque o foco é uma maior conectividade.

 

O surgimento

A expressão foi originada na Alemanha e utilizada pela primeira vez em 2011, como principio do desenvolvimento de fabricas inteligentes e com a perspectiva da autossuficiência. Sem dúvida a ideia primaria foi associar máquinas e programas, para uma operação mais autônoma.

Ademais, deve-se ressaltar que o mundo nos últimos 300 anos passou por muitas mudanças tecnológicas e a tendência é não parar tão cedo. Isso inclusive ocorreu em outras Revoluções Industriais e suas aplicações, durante a história, para que o ser humano chegasse na versão 4.0 de uma nova indústria:

  • 1º a utilização de energia hidráulica a vapor em maquinários de produção e transporte de bens de consumo, como um começo da substituição do sistema tradicional para a mecanização.
  • 2º o emprego da energia elétrica em larga escala em equipamentos que possibilitam a formação de grandes linhas de produção e montagem, marcando a produção em massa.
  • 3º a incorporação de sistemas eletrônicos e da tecnologia da informação durante a produção e gerenciamento, marcando o início da automação na fabricação de bens de consumo.

Depois desses processos chegamos na 4ª fase onde as máquinas inteligentes, análise computacional e a hiperconectividade é o que mapeia a realidade em que se vive hoje. Fazendo com que essa indústria seja bem diferente das mudanças anteriores, isso porque também tem o intuito da descentralização do controle dos processos produtivos.

 

 

Um novo conceito

Integrar automação e diferentes tecnologias com o intuito de promover a digitalização das atividades e melhorar os processos. E com isso aumentar a produtividade é a base da Indústria 4.0, por isso é importante falar um pouco de quais tecnologias estão envolvidas nesse processo:

 

  • Internet das coisas: é a interconexão entre aparelhos tecnológicos por meio de uma rede virtual para melhorar o uso dos objetos, de maneira que eles possam se comunicar e interagir, sendo inclusive remotamente monitorados e/ou controlados, para gerar eficiência.
  • Computação em nuvem: os sistemas são armazenados em servidores compartilhados e interligados pela internet, o que permite as empresas acessar recursos computacionais abundantes como um serviço a partir de dispositivos remotos diversos.
  • Cibersegurança: um conjunto de infraestruturas de hardware e software para o gerenciamento de identidade e acesso às máquinas, para a proteção de toda a informação e seus interessados.
  • Big data: um software dotado de técnicas estatísticas e aprendizagem de máquina para extrair informações, devido a quantidade imensa de dados que é coletada e armazenada diariamente.
  • Inteligência artificial: aplicada para que as máquinas e equipamentos possam aprender, interpretar, analisar e automatizar suas decisões e ações com base na lógica, sem a influência do ser humano.
  • Manufatura Aditiva: se trata da fabricação de peças a partir de um desenho digital utilizando o software de modelagem tridimensional, sobrepondo finas camadas de material por meio de uma Impressora 3D.
  • BIM: modelo de representação digital de uma edificação, combinando informações tridimensionais e não geométricas, junto a Realidade Aumentada, para integrar a realização do projeto com o produto. (Link do texto anterior)
  • Robótica: dispositivos que agem parcialmente ou totalmente de maneira autônoma, que interagem fisicamente com as pessoas ou ambientes, e que são capazes de modificar seu comportamento com base em dados.

 

Essas são algumas das tecnologias que são aplicadas na Indústria 4.0, contudo, é necessário dizer que elas não param nesta listagem e a cada dia são melhoradas, além de serem constantemente criadas novas. Isso porque o movimento é expansivo, a fim de acelerar os avanços sociais e econômicos em várias áreas da indústria.

Ressalta-se também que esta transformação vem revolucionando a forma que as empresas produzem os produtos e oferecem serviços. Isso porque é um novo ciclo, com base na fusão das tecnologias dentro dos meios digitais, físicos e biológicos.

 

Pontos positivos

Os maiores benefícios alcançados com a implantação da Indústria 4.0 na construção civil começam com o planejamento, também se estendem durante os processos de controle e gestão de obras. Com isso acabam favorecendo a gestão financeira, comercial e a estratégia, por isso é importante discutir os principais pontos que serão beneficiados com as aquisições tecnológicas:

 

  • Qualidade: com o investimento em tecnologias, o acompanhamento financeiro e físico das atividades ajuda a garantir a disponibilidade de profissionais e materiais em obras.
  • Otimização: com o gerenciamento de dados e o apoio de outras tecnologias, fica mais fácil acessar informações, assim criar gráficos e viabilizar ações para que os processos possam fluir melhor.
  • Redução de custos: por mais que não pareça, o investimento primário em mais tecnologias, a longo prazo, se torna recompensa, pois evita-se desgastes e desperdícios diretos ou constantes.
  • Produtividade: com a automação de partes do processo de construção, há uma economia de tempo, possibilitando aos gestores avançar as operações, o que ajuda a garantir mais resultados em menos tempo.
  • Acertos: com a automação e mecanização dos processos, de maneira intuitiva e autônoma, são reduzidas as probabilidades de acidentes e gastos desnecessários resultante de falhas desde a concepção de projetos.

 

Há muitos outros pontos positivos, que podem ser considerados atuais ou mutáveis, já que a indústria 4.0 é pautada pela inovação constante, que são compensatórios com a sua implementação. Ademais, existem outras características que implicam nas vantagens de algumas tecnologias e é necessária uma avaliação das possibilidades dentro dos projetos e a relevância imediata de cada mudança.

 

Pontos negativos

 

Ainda que seja muito positiva a Indústria 4.0 tem um caminho bem longo para se percorrer, até chegar no ponto de impacto mais importante de avanços tecnológicos e redução de custos. Isso porque a revolução digital em um contexto tradicional como a construção civil confronta os moldes do trabalho artesanal. Listamos aqui algumas barreiras para sua aplicação:

 

  • Ataques cibernéticos: um dos pontos mais discutidos são os ciberataques, isso porque um dos pontos é a conectividade constante e em larga escala dentro de uma companhia, deixando também ela sujeito a espionagem.
  • Formação dos colaboradores: considera-se que a maior parte dos trabalhadores da construção em seus diversos níveis de comando tenham uma educação voltada a capacitação na área de atuação e não muito voltada a tecnologias, ou seja, seria necessária uma capacitação mais voltada para área de tecnologia.
  • Atraso tecnológico: isso porque não há como implementar as novas tecnologias sem a presença de mecanismos básicas, o que gera um processo mais profundo de que envolve uma remodelagem digital para um maior fluxo de atividades.
  • Custo ou investimento: no Brasil a inovação custa mais caro que em outros países, o que atrapalha ainda mais a concepção das companhias de que as inovações são necessárias, já que os resultados chegam só a longo prazo.
  • Mão de obra: com a presença de mais máquinas e tecnologias assumindo as funções humanas, ainda que com o surgimento de novas profissões, é possível ocorrer demissões em grande escala, visto que a construção civil é majoritariamente de processos manuais.

 

Portanto serão necessárias mudanças em toda a estrutura das organizações para que a Industria 4.0 possa ser realmente inserida no contexto brasileiro, sobretudo na construção. Além disso, será um grande desafio que pode desprender não só tempo, mas também recursos para pesquisas e aquisições de tecnologias. Contudo, é importante entender que não é uma escolha, mas sim algo que já vem ocorrendo como uma tendência global para o desenvolvimento e é caminho sem volta.

 

Gostou do nosso conteúdo? Conheça todas as nossas atualizações clicando aqui!

 

Fonte:

http://www.portaldaindustria.com.br/industria-de-a-z/industria-4-0/

https://fia.com.br/blog/industria-4-0/

http://riut.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/17086/1/CT_CEAUT_2015_08.pdf

 

Novidades

Fique por dentro de todas as novidades da Orguel. Se inscreva em nossa Newsletter!

Este website utiliza cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao utilizar este website, você concorda com o uso de cookies, conforme descrito na nossa Política de Cookies. As suas preferências também podem ser alteradas a qualquer momento através da nossa ferramenta de Preferência dos Cookies. Para informações de como tratamos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade.